ROCK OITENTISTA

Loading...

sábado, 22 de setembro de 2007

" DIRE STRAITS "



Dire Straits foi uma banda de rock britânica formada em 1977 por Mark Knopfler (guitarra e vocais), seu irmão David Knopfler (guitarra), John Illsley (baixo) e Pick Withers (bateria).
Embora formada em uma época em que o punk rock reinava absoluto, decidiram lidar com as convenções do rock clássico, firmando-se em uma sonoridade mais leve, que agradou ao público cansado do som superproduzido do rock dos anos 70. Não tardou para que a banda se tornasse conhecida mundialmente, ganhando o status de disco de platina logo em seu primeiro álbum.Entre suas canções mais conhecidas estão "Sultans of Swing", "Your Latest Trick", "Romeo and Juliet", "Private Investigations", "Money for Nothing", "Walk of Life", "Brothers in Arms" e "So Far Away"
Apesar do grande sucesso, a banda terminou sem estardalhaços em 1995, quando Mark Knopfler expressou o desejo de não mais fazer turnês em larga escala, passando imediatamente a se dedicar integralmente à sua carreira solo.
O Dire Straits gravou e lançou seu primeiro e auto-intitulado álbum em 1978, inicialmente no Reino Unido, para depois se espalhar pelo resto da Europa e então Estados Unidos. O single Sultans of Swing se alcançou as paradas britâncias.
O segundo álbum Communiqué foi lançado no ano
seguinte. As formações da banda mudaram durante os anos, restando somente Mark Knopfler e John Illsley como remanescentes da formação inicial.
Em 1980 a banda lançou seu terceiro álbum, Making Movies, marcando o início de arranjos mais complexos e produções que continuariam parecidas até o final do grupo, nos anos 1990. Contendo Romeo and Juliet, que se tornou um dos maiores hits da banda, o álbum também marcou a saida de David Knopfler enquanto sua produção ainda estava em progresso. O músico foi substituido por Sid McGinnis. Making Movies ainda contava com o tecladista Roy Bittan e foi produzido por Jimmy Iovine.
O tecladista Alan Clark e o guitarrista Hal Lindes se uniram à banda no quarto álbum, Love Over Gold, lançado em 1982 e primeiro álbum da banda produzido por Mark Knopfler. Logo após o lançamento do álbum o baterista Pick Withers deixou a banda para uma nova carreira no jazz. Seu substituto foi Terry Williams, anteriormente no Rockpile.Em 1983 foi lançado um EP contendo a canção Twisting by the Pool, sendo seguido pelo álbum ao vivo duplo Alchemy: Dire Straits Live, no ano seguinte.
O álbum Brother in Arms foi lançado em 1985 e se tornou o mais vendido do Reino Unido naquele ano, alcançando sucesso também internacionalmente. Foi origem de vários singles de sucesso, como o topo de paradas nos Estados Unidos Money for Nothing, que foi também o primeiro vídeoclipe apresentado na MTV do Reino Unido. Houve mudanças na formação da banda, com a adição do segundo tecladista Guy Fletcher e a saída de Hal Lindes durante as gravações, tendo sido substituido por
Jack Sonni. Apesar disso Hal permanenceu como membro oficial da banda até o lançamento do álbum. Além disso, Terry Williams tornou-se baterista. O sucesso comercial do disco foi ajudado pelo fato de ter sido um dos primeiros álbuns completamente gravado e produzido no então novo formato CD, levando aos admiradores da nova tecnologia a venerarem o álbum.
A turnê mundial da banda de 1985-1986 foi de sucesso fenomenal. Após tocar várias vezes no Wembley Arena, a banda também participou em 13 de julho de 1985 no Live Aid, tocando Money for
Nothing com a participação nos vocais de Sting. A turnê terminou no Entertainment Centre em Sydney. O sucesso do disco e a participação no Live Aid tornaram o Dire Straits a banda que mais vendeu em meados da década de 1980.
Em 1986, após o final da turnê de suporte ao álbum Brothers in Arms, a banda estendeu-se fora da mídia e Mark Knopfler concentrou-se em projetos solo, além de trilhas sonoras. O grupo reuniu-se novamente para o concerto de aniversário de 70 anos de Nelson Mandela em 1988, com a participação de Eric Clapton. No mesmo ano Terry Williams deixou a banda.
Após Knopfler ter trabalhado e participado de turnê com o Notting Hillbillies, o Dire Straits reuniu-se em 1990. O resultado foi o último álbum de estúdio da banda, On Every Street (1991), com sucesso e críticas moderadas. A turnê mundial de 1991-1993 não foi tão bem sucedida quanto a anterior. Em 1993 foi lançado o álbum ao vivo On the Night, documentando a turnê.

Membros fundadores

Mark Knopfler - vocal e guitarra (1977-1995)
John Illsley - baixo e back vocal (1977-1995)

Membros da última formação

Alan Clark - teclado (1980-1995)
Guy Fletcher - teclado e back vocal (1984-1995)

Membros antigos

David Knopfler - guitarra, teclado e back vocal (1977-1980)
Pick Withers - bateria, percussão e back vocal (1977-1982)
Hal Lindes - guitarra e back vocal (1980-1984)
Terry Williams - bateria e percussão (1982-1988)
Jack Sonni - guitarra e back vocal (1984-1988)
Chris White - saxofone (1984-1995)










"A FLOCK OF SEAGULLS"




A Flock of Seagulls foi uma banda New Wave britânica formada em Liverpool, Inglaterra, em 1980 por Mike Score, o seu irmão Ali Score e os amigos Frank Maudsley e Paul Reynolds. Ganhou popularidade na Europa e nos Estados Unidos no início dos anos 80.
Actualmente a banda continua, mas com um novo alinhamento:

Mike Score, vocalista, teclados
Joe Rodriguez, guitarra
Robbie Hanson, baixo
Albert Cruz, bateria


"MILLI VANILLI"


Milli Vanilli foi uma dupla de reggae e dance music formada por Frank Farian na Alemanha em 1988 cujos integrantes eram Fab Morvan (14 de Maio de 1966) e Rob Pilatus (8 de Junho de 1965 – 2 de Abril de 1998).
O álbum de estréia da dupla alcançou altas vendas internacionalmente e os premiou com um Grammy de Melhor Artista Estreante em 1990. Entretanto, o sucesso deles virou infâmia, quando o prêmio foi revogado depois da revelação de que os supostos cantores não cantavam no disco.
Farian decidiu participar dos vocais com Charles Shaw, John Davis, e Brad Howell e as irmãs gêmeas Jodie e Linda Rocco, mesmo quando ele viu que aqueles músicos eram talentosos mas invendáveis. Portanto, atraído por seu carisma, Frank escalou Morvan e Pilatus para tomarem a frente do projeto. O primeiro álbum do Milli Vanilli foi All or Nothing.
Apesar de criticado, a fama do Milli Vanilli continuou a crescer pelo mundo. All or Nothingfoi reempacotado, remixado e reintitulado para Girl You Know It's True na versão norte-americana.
Cinco singles foram lançados da segunda metade de 1988 até o início de 1990: a faixa-título, "All or Nothing", e os três maiores sucessos do grupo: "Girl You Know It's True", "Baby Don't Forget
My Number", e "Blame It On The Rain". O Milli Vanilli ganhou o Grammy de Melhor Artista Estreante en 21 de Fevereiro de 1990 por Girl You Know It's True.
Em Julho de 1989, durante uma performance ao vivo gravada pela MTV norte-americana, a gravação da
música "Girl You Know It's True" engasgou e começou a pular, repetindo parcialmente "Girl, you know it's-". De acordo com o primeiro episódio da série Behind the Music do canal VH1, que destacou o Milli Vanilli, fãs que assistiam ao show pareceram não se importar e tudo continuou como se nada tivesse acontecido, mas críticos perceberam e atacaram Rob e Fab em suas críticas sobre o show.
Ao contrário da versão internacional de All or Nothing, os créditos para a versão americana atribuíram claramente as vozes no álbum para Morvan e Pilatus, "irmãos de sangue". Devido ás dúvidas cada vez mais crescentes a respeito da fonte de talento no grupo, bem como a insistência de Morvan e Pilatus para que Farian os deixasse cantar no próximo álbum, Farian confirmou aos repórteres em 15 de Novembro de 1990 que Morvan e Pilatus não cantaram nas gravações.
Como resultado da pressão da mídia norte-americana, o Grammy do Milli Vanilli foi cancelado quatro dias depois (entretanto, seus três prêmios American Music Award nunca foi cancelado devido ao fato dos organizadores concluírem que tais prêmios lhes foram dados pelos compradores dos discos), a gravadora Arista Records os retirou do seu elenco, tal como o álbum, que teve seus masters apagados, tornando Girl You Know It's True fora de catálogo. Lojas de discos também foram proibidas de devolverem suas cópias para a Arista, e várias lojas de discos usados se recusaram
completamente de comprar cópias de outras lojas.
Depois de todos esses detalhes virem à tona, pelo menos 26 processos diferentes correram contra Pilatus, Morvan e a gravadora Arista, amparados pelas várias leis norte-americanas de proteção ao consumidor contra fraudes. Um desses processos ocorreu em 22 de Novembro de 1990 em Ohio, onde advogados entraram com uma ação conjunta, pedindo reembolso para pelo menos 1.000 cidadãos locais que compraram o álbum Girl You Know It's True. Em 12 de Agosto de 1991, uma proposta de acordo de reembolso em Chicago foi rejeitada. Esse acordo propunha reembolso para os compradores 3 dólares por CD, 2 por disco ou fita cassete e 1 para compactos. Entretanto, esse reembolso seria dado apenas como crédito para algum lançamento futuro da Arista.
Em 28 de Agosto, um novo acordo foi aprovado. O mesmo esquema de preço se manteve, além do reembolso de 2,50 dólares. Uma prova de compra, ou canhoto do ingresso foi solicitado para dar direito ao reembolso. Estima-se que 10 milhões de consumidores tornaram-se aptos para o reembolso. O prazo para pedir reembolso expirou em 8 de Março de 1992.Uma rádio de Detroit teria oferecido aos 1.000 primeiros ouvintes que mostrassem uma cópia do álbum do Milli Vanilli uma camiseta onde se lia: "Screw Milli Vanilli".
O material do segundo álbum do Milli Vanilli já tinha sido gravado e finalizado na primavera de 1990. No outono, o primeiro single "Keep On Running", pouco antes de Farian relevar a verdade sobre o Milli Vanilli.
Na última hora, a capa do segundo álbum mudada para que fossem relevados os verdadeiros cantores no lugar de Morvan e Pilatus, o título trocado de Keep on Running (nome que correspondia ao primeiro single) para The Moment Of Truth (o momento da verdade) e o nome do grupo mudado para The Real Milli Vanilli. Entretanto, o desenhista que fez a mudança esqueceu de atualizar a lombada, que ainda tem nome e título originais ("Milli Vanilli - Keep On Running").
O álbum resultante, lançado na Europa no começo de 1991, já renomeado para The Moment of Truth, gerou três singles, "Keep On Running," "Nice 'n Easy" and "Too Late (True Love)." Um cantor com visual parecido com o de Morvan e Pilatus chamado Ray Horton aparece na capa, e gravou os vocais
em quatro faixas. Adicionalmente, o álbum contava com participação de rappers: Icy Bro em "Hard As Hell" e Tammy T em "Too Late (True Love)." Uma canção de Diane Warren, "When I Die," foi regravada por vários outros artistas, incluindo o próprio Farian com o No Mercy.
Para o mercado americano, Farian decidiu evitar qualquer associação com o Milli Vanilli e re-regravou as faixas com Ray Horton nos vocais na maioria das faixas. Em 1992, RCA publicou no release do álbum como o primeiro do novo grupo criado Try 'N' B. O álbum auto-intitulado incluiu três faixas adicionais que não estavam no The Real Milli Vanilli: "Ding Dong," "Who Do You Love", e uma regravação do Dr. Hook "Sexy Eyes." Devido as siginifcativas vendas sob o nome Try 'N' B
nos Estados Unidos, um álbum levemente modificado do Try 'N' B foi lançado internacionalmente.
Enquanto isso, Morvan e Pilatus se mudaram para Los Angeles e assinaram com o Joss Entertainment Group, onde eles gravaram o próximo álbum sob o nome Rob & Fab. Quase todas as músicas foram escreitas por Kenny Taylor e Fabrice Morvan. Morvan faz a voz principal, enquanto Pilatus presenta batidas rap que ele mesmo escreveu. A voz de Morvan foi considerada ruim e muito
anasalada pelos críticos. Devido as restrições financeiras, Joss só conseguiu lançar o álbum nos Estados Unidos, o mais crítico de todos os mercados do Milli Vanilli. Um single, "We Can Get It On", foi feito para tocar no rádio brevemente antes do lançamento do álbum.
Tentativa de retorno de Farian Para salvar suas carreiras após uma série de erros, em 1997 Farian concordou em produzir um novo álbum do Milli Vanilli com Morvan e Pilatus nos vocais. Esse foi o
motivo principal do álbum de retorno de 1998 Back and in Attack. Até mesmo alguns dos músicos de estúdio tocaram, numa tentativa de trazer de volta a fama que havia rapidamente desaparecido.
Entretanto, Pilatus enfrentou uma série de bloqueios mentais durante a produção do novo álbum.
Ele passava por uma vida nas drogas e no crime, cometendo uma série de roubos e tendo passado três meses numa cadeia na Califórnia. Durante seis meses, Farian pagou a Pilatus uma reabilitação das drogas e passagens de avião para que ele retornasse a Alemanha. No dia 2 de Abril de 1998, ás
vésperas da turnê promocional do novo álbum, Pilatus foi encontrado morto de overdose de drogas num hotel em Frankfurt, aos 32 anos. As razões para um aparente suicídio de Pilatus são fortemente constestadas na mídia.
Morvan passou os anos seguintes como músico e locutor, enquanto aprimorava seus talentos musicais. Em 1998 ele foi um DJ na famosa rádio Kiis FM, de Los Angeles. Durante esse tempo, ele também se apresentou 1999 no festival Wango Tango para 50.000 pessoas no Dodger Stadium. Em 2000, Morvan participou de um documentário ds BBC sobre o Milli Vanilli, assim como no primeiro episódio do Behind the Music da VH1. Morvan passou o ano de 2001 fazendo turnê, antes de se apresentar em 2002 no recém-ianugurado Velvet Lounge no Hard Rock Café Hotel em Orlando, Flórida.
Em 2003 Morvan lançou seu primeiro álbum solo, Love Revolution.
Em 2006,
foi lançado o álbum "Greatest Hits" do Milli Vanilli.







sexta-feira, 21 de setembro de 2007

" THE B-52' "


Os The B-52's foram uma banda norte-americana de rock e new wave, formada em 1976, em Athens, por Kate Pierson (vocais), Cindy Wilson (vocais), Fred Schneider (vocais), Ricky Wilson (guitarra) e Keith Strickland (bateria).

Nos primeiros três anos, os B-52's tocam inicialmente em clubes, sendo o mais conhecido o Max's Kansas City. Dada a sua falta de conhecimentos musicais, chegam a utilizar gravações de guitarras e percussão. Em 1979 lançam o seu primeiro álbum The B-52's, marcado por ritmos de dança, humor e bizarria, do qual se destaca o tema Rock Lobster.

O segundo álbum Wild Planet lançado em (1980), segue a mesma linha do anterior. Em 1982, David Byrne, dos Talking Heads, trabalha como produtor com a banda mas, após algumas sessões fracassadas, lançam o EP Mesopotamia, que surge sem parte do humor característico do grupo.

Whammy!, o terceiro álbum dos B-52's, lançado em 1983, mostra o grupo com uma nova sonoridade, mais electrónica.

O álbum seguinte, Bouncing Off the Satellites, editado em 1986, é marcado pela morte de Ricky Wilson, poucos meses antes do seu lançamento. A banda ressente-se desta perda, e só em 1989 volta com um novo trabalho, Cosmic Thing, que se torna o álbum de maior sucesso comercial do grupo, com êxitos como Love Shack, Roam e Deadbeat Club.

Em 1992, Cindy Wilson abandona a banda, e é como trio que os B-52's lançam Good Stuff. Cindy junta-se à banda em 1998, mas apenas para apoio da turnê da banda, na promoção do álbum de êxitos Time Capsule.

"ADAM AND THE ANTS"




Adam Ant é o nome artístico de Stuart Leslie Goddard (3 de novembro de 1954, Londres), líder e vocalista da banda Adam and the Ants. Embora tenha começado a tocar música punk, ele foi aos poucos mudando seu estilo em direção à imagem de um astro pop. Assim como David Bowie, Madonna e outros célebres camaleões da música,
Adam era notório por reinventar sua imagem a cada disco novo.Indubitavelmente o ponto alto da carreira de Ant foi no começo dos anos 80 com sua banda. Ajudou muito o surgimento da MTV, que deu a ele o veículo ideal para transmitir sua mensagem às massas o videoclipe. Até 1985 Adam ainda tinha apelo suficiente na mídia, inclusive participando do concerto beneficente Live Aid, onde, ao invés de tocar seus maiores sucessos ele escolheu as músicas do seu recém-lançado álbum solo. Não adiantou muito, e foi o começo do declínio de sua carreira. Foi então que Adam passou a atuar em filmes e séries de TV.No final dos anos 90, aproveitando a onda de nostalgia em relação aos anos 80, Adam retomou sua carreira, obtendo sucesso relativo (principalmente entre seus antigos fãs)No começo de 2002 Adam se envolveu em uma briga em um pub na Inglaterra, que lhe rendeu um processo. Foi então revelado que ele era maníaco depressivo. Desde este incidente ele voltou a ser notícia, com rumores sobre seu estado de saúde e prováveis projetos musicais.

"INFORMATION SOCIETY"




Information Society é uma banda de origem norte-americana, tendo sido oficialmente formada em finais de 1981 na cidade de Minneapolis com a união de três músicos e amigos de colegial: Paul Robb, Kurt Harland e James Cassidy.
Cinco anos mais tarde Amanda Kramer entrou para o grupo, mas saiu dois anos depois.
O grupo recebe influências de vários gêneros musicais, porém com maior destaque para a música eletrônica das discotecas dos anos 80. Tornou-se conhecida mundialmente pela música Running em 1985.Entre 1987 e 1988, a banda começou a ganhar maior destaque nos Estados Unidos e Japão, mas especialmente no Brasil, onde o grupo tornou-se um grande sucesso até o desmanche dos membros originais em 1993.
Na novela Deus nos acuda, realizada pela Rede Globo, a música Cry Baby da banda fez parte da trilha sonora.Devido a uma série de desentendimentos entre os três membros, Paul e James saíram da banda em 1993 para construir outras carreiras fora da indústria musical, deixando assim Kurt com os direitos e nome da banda.
Ele chegou a fazer um álbum solo em 1997 denominado "Don't be Afraid"Recentemente,
os velhos integrantes, Paul Robb, Kurt Harland e James Cassidy, discutiram o retorno da banda. Kurt Harland, por motivos pessoais, teve de desligar-se do possível retorno do grupo, passando os direitos desta para Paul. Outros dois nomes surgiram então: Christopher Anton e Sonja Myers. O novo grupo, formado por Paul, James,
Christopher e Sonja, veio ao Brasil em Agosto de 2006 para um show de flash-back e já anunciou um álbum para 2007.








domingo, 16 de setembro de 2007

"THE CURE"


O The Cure foi, sem dúvida, uma das bandas mais importantes da década de 80. Responsáveis por grande parte dos hits dessa época, o grupo ainda continua fazendo história, mais de 20 anos após o lançamento do primeiro álbum. E o grande nome por trás disso tudo é Robert Smith. Nascido em Blackpool, Inglaterra, o vocalista é o criador de quase tudo que a banda gravou e único membro a nunca abandonar o The Cure.

Montou o Easy Cure, em 1977, ao lado do baterista Lol Tolhurst, do baixista Michael Dempsey e do guitarrista Porl Thompson. Após uma experiência não muito agradável com a gravadora Hansa, gravaram o single “Killing An Arab”. Bob assumiu as guitarras e agora como trio, mudam o nome do grupo para The Cure.

No ano de 1979, foi lançado o ‘debut’ “Three Imaginary Boys”, que saiu nos Estados Unidos como “Boys Don’t Cry”, e acabou se tornando uma das composições mais famosas da banda. Dempsey, no entanto, resolveu deixar o The Cure e foi substituído por Simon Gallup.

O segundo trabalho “Seventeen Seconds” trouxe ainda mais popularidade para os ingleses e a música “A Forest” impulsionou as vendas do álbum em todo o mundo. Os discos seguintes são considerados grandes clássicos do Rock Gótico, “Faith” de 1981, e “Pornography”, de 1982, com os hits “A Strange Day”, “The Hanging Garden” e “Cold”.

No ano seguinte, Gallup anuncia a sua saída e a dupla Bob e Lol resolve dar um tempo no grupo. O vocalista faz algumas participações com o Siouxie and the Banshees e o The Cure só volta em 1984, com “The Top”, trazendo no line up Phil Tornalley no baixo e Andy Anderson na bateria.

Mas essa formação não duraria muito. Boris Willians, Porl Thompson e o antigo baixista, Simon Gallup integram o time e “The Head On The Door” chega ao topo das paradas nos EUA e na Inglaterra.

Uma coletânea de singles, intitulada “Standing on a Beach”, saiu em 1986 e o inédito “Kiss Me Kiss Me Kiss Me”, veio no ano seguinte e, além da faixa-título, também foram muito executadas ‘‘Why Can’t I Be You?’’ e “Catch” e “Just Like Heaven”.

Em 1989, o The Cure passou por momentos bons e ruins. O fato positivo foi “Disintegration”, álbum ovacionado pelos fãs e críticos. Por outro lado, Lol Tolhurst abandona o grupo e alimenta uma longa briga judicial com seu antigo companheiro Robert Smith, sendo substituído por Roger O’Donnell.

“Mixed Up”, um álbum de remixes saiu um ano depois e o inédito “Wish” colocava o The Cure de volta nas rádios com a pop “Friday I’m In Love”. Em 1993, o ao vivo “Show” chega às lojas e logo em seguida vem outro “Paris (Live)”.

Em 1996, “Wild Mood Swings” causa uma certa divisão entre os fãs devido ao experimentalismo presente em todas as composições. Mais uma coletânea de singles, dessa vez “Galore” foi lançada e para a surpresa geral, Robert Smith anuncia que o The Cure vai acabar. Como uma despedida para os fãs, gravam “Bloodflowers”, um disco no melhor estilo do The Cure, uma banda que marcou para sempre a história do Rock e que continua conquistando milhares de fãs em todo o mundo, mesmo após terem anunciado o seu fim.

O grupo lançou em 2004 uma caixa especial contendo 4 CD’s com todos os grandes sucessos e faixas raras de forma retrospectiva, e que inclui ainda um encarte de 76 páginas repleto de fotos. No mesmo ano, o The Cure retomou suas atividades e gravou um álbum inédito. Auto-intitulado, o material contou com a produção de Ross Robinson (Korn, Limp Bizkit e At The Drive-In). Apesar da escolha de um produtor tão diferente, a formação continua a mesma de 10 anos atrás com Robert Smith nas vozes e guitarra, Simon Gallup no baixo, Perry Bamonte na guitarra, Jason Cooper na bateria e Roger O'Donnell nos teclados.

Para divulgar o trabalho e provar que voltaram em grande estilo, os ingleses criam um festival próprio, batizado de Curiosa. Além deles, que, obviamente, são a atração principal, o evento roda os Estados Unidos levando ainda nomes como Interpol, The Rapture, Mogwai e Melissa Auf Der Maur.

" DAVID BOWIE "




Um dos maiores nomes da história do Rock. É com essa simples frase que podemos definir David Bowie. Sua importância no mundo da música é inegável, incomensurável e infinita.

A história começou quando David Robert Jones, então com 13 anos de idade, influenciado pelo som de Little Richards, começou a tocar saxofone em algumas bandas de Brixton até 1966. A partir daí decidiu se lançar em carreira solo. Conseguiu um empresário, adotou a alcunha de David Bowie e gravou alguns singles. Três anos depois, conseguiu entrar pela primeira vez nas paradas inglesas com “Space Oddit”, inspirado em “2001 – Uma Odisséia no Espaço”.

Depois disso, o vocalista começou a se firmar no cenário da época com os álbuns “David Bowie” e “The Man Who Sold The World”, regravada pelo Nirvana nos anos 90. Os anos 70 impulsionaram a carreira de Bowie em todo o mundo e ficaram marcados pelo lançamento de grandes clássicos como "Hunky Dory" e "The Rise And Fall Of Ziggy Stardust And The Spiders From Mars", onde ele deu vida ao seu mais famoso personagem, uma espécie de alienígina andrógino, Ziggy Stardust.

Após “Young Americans”, atuou no filme “The Man Who Fell To Earth” e lançou um de seus trabalhos mais famosos, “Low”, em 1977. A década de 80 começa com “Scary Monster (and Supercreeps)” e investiu ainda mais em sua carreira cinematográficas.

Somente 3 anos depois “Let’s Dance” foi gravado e seguiu-se uma turnê mudial. O camaleão, como é conhecido, iniciou uma nova empreitada, o Tin Machine, lançando dois álbuns, em 1989 e 1991. Ainda nos anos 90, Bowie lança “Black Tie White Noise”, de 1993, que atingiu o primeiro lugar nas paradas britânicas, “Outside”, de 1995 e o mais eletrônico “Earthling”, de 1997.

Nessa época, Bowie saiu em turnê com o Nine Inch Nails e ez participações especiais em apresentações com o Neil Young e Pearl Jam. No ano seguinte, entrou no ar o BowieNet, um provedor de Internet criado pelo artista. “...hours”, de 1999, marcou uma volta do vocalista às raízes, com composições mais cruas e voltadas ao Rock. Alguns anos depois chegou "Heathen", iniciando o novo milênio.

David Bowie conseguiu influenciar muitas gerações e foi fonte de inspiração para grupos de todos os estilos, desde Punk, até Metal, passando pelo Pop e música eletrônica. Sua mente inovadora e atitude de vanguarda mudaram para sempre o ‘show business’. Absorvendo, incorporando e criando elementos artísticos de cada época, o camaleão interferiu em todas as artes, cantando, compondo, interpretando e criando capas, visuais e personagens inovadores.


"PHIL COLLINS"


Philip David Charles Collins (nascido em 30 de janeiro de 1951 em Londres), mais conhecido como Phil Collins, é um músico britânico. Ele foi baterista e vocalista das bandas Brand X e Genesis.

Phil Collins já colaborou com vários artistas conhecidos, como George Harrison, Paul McCartney, Eric Clapton, Robert Plant, Mike Oldfield, Sting, Peter Gabriel e Ravi Shankar. Fez uma participação especial em Woman in Chains, do Tears for Fears.

Depois que Peter Gabriel deixou o Genesis em 1975, Collins assumiu os vocais. Esse foi o período de maior sucesso comercial da banda, que continuou através dos anos 80. Enquanto trabalhava tanto como vocalista quanto de baterista, dava os primeiros passos de uma bem-sucedida carreira solo.
Carreira solo e auge
Seu primeiro disco solo foi Face Value, em 1981. Este e os discos que se seguiram foram grandes sucessos de vendas e muitas músicas estiveram entre as mais ouvidas. Era o auge da carreira de Collins, que atravessou todo os anos 80.


Apesar da enorme popularidade, a vendagem dos seus discos de Collins começaram a decair nos anos 90. Em 2003 ele anunciou que iria terminar sua carreira solo, fazendo uma turnê de despedida. Em 2006, juntamente com Mike Rutherford e Tony Banks, anunciou uma nova turnê da banda Genesis, com a qual também participou do Live Earth, em 2007.


Collins se casou com Andrea Bertorelli of Canada em 1975. Eles tiveram um filho, Simon Collins e Phil adotou a filha de Andrea, Joely Collins. Eles se divorciaram em 1980. Seu segundo casamento foi com Jill Tavelman, entre 1984 e 1996, no qual teve uma filha, Lily. Collins se casou novamente em 1999, com Orianne Cevey. Tiveram dois filhos, Nicholas e Matthew. Se separaram em 2006. É defensor dos direitos dos animais e torcedor do Tottenham Hotspur Football Club.







" TOTO "




Toto é uma banda de rock progressivo norte-americana, formada em 1976 em Los Angeles, que cantou clássicos como Rosanna e Africa.

Discografia

1978 Toto
1979 Hydra
1981 Turn Back
1982 Toto IV
1984 Isolation
1986 Fahrenheit
1988 The Seventh One
1992 Kingdom of Desire
1995 Tambu
1999 Mindfields
2002 Through the Looking Glass (canções conver)
2006 Falling In Between

Compilações, álbuns ao vivo e bandas sonoras

1984 Dune (banda sonora, remasterizada e reeditada em 1997 e 2001)
1990 Past to Present
1977-1990 (compilação com quatro novas faixas)
1993 Absolutely Live
1995 Best ballads, publicado na Alemanha e Áustria.
1998 Toto XX (faixas inéditas)
1999 Livefields
2003 Live in Amsterdam
2003 The Essential Toto










" TALKING HEADS "


Talking Heads é uma banda musical surgida em Nova Iorque (EUA), no dia 8 de Setembro de 1974, em meio ao movimentos punk e new wave. Liderada pelo guitarrista e vocalista David Byrne, a banda ganhou notoriedade por fundir o rock com inúmeros ritmos, inclusive os africanos.

O líder, guitarrista e vocalista do Talking Heads (David Byrne) nasceu em Dumbarton, Escócia, no dia 14 de Maio de 1952, e além do trabalho com o grupo, compôs trilhas para artistas como Twyla Tharp e Robert Wilson, nomes da dança e do drama respectivamente, além do filme “O Último Imperador” (de 1987, realizado por Bernardo Bertolucci) pelo qual ganhou um Oscar. Também dirigiu o filme “True Stories” (de 1986) e produziu diversos álbuns de música caribenha e brasileira (incluindo trabalho com Tom Zé e Margareth Menezes), notadamente “Rei Momo” (de 1989) e um vídeo documentário sobre o candomblé chamado “The House of Life” (também de 1989). O grupo Talking Heads existiu de 1977 até 1991. O Talking Heads fez a sua criação com a mistura do punk, rock, pop, funk, intelectualismo, e no final da carreira, com a world music.



Biografia

O grupo foi formado em 1974 durante os estudos na “Rhode Island School of Design”. No início o grupo eram apenas David Byrne (vocal, guitarra) e Chris Frantz (bateria), que tocavam e compunham (entre as músicas da época, pode-se citar Psycho Killer e Warning Sign) sob o nome de "The Artistics", jocosamente chamado de "The Autistics". Em 1974, a namorada de Chris, Tina Weymouth (baixo) juntou-se a eles e então David mudou o nome da banda para Talking Heads.

A primeira grande apresentação da banda ocorreu no dia 8 de Junho de 1975, quando fizeram a abertura do show dos Ramones no lendário “CBGBs club”, em Nova Iorque. Em 1976 acrescentaram mais um membro, Jerry Harrison (guitarrista e tecladista), um ex-membro dos "The Modern Lovers" outra grande referência novaiorquina. Rapidamente o grupo se articulou e conseguiu fechar um contrato como a “Sire Records” (associada alemã da Warner Bros). De 1977 data o primeiro álbum, que foi “Talking Heads: 77” e já mostrava o rock e o punk misturados com sons experimentais. O álbum não deu sucesso imediato ao grupo.

Em 1978 chegou o segundo trabalho do grupo, “More Songs about Buildings and Food”, numa colaboração com o produtor ingles Brian Eno (conhecido pelo seu trabalho com os Roxy Music, David Bowie e Robert Fripp). Brian Eno se tornou uma espécie de “quinto elemento virtual” do grupo Talking Heads e passou a colaborar com novos estilos musicais. É dessa época a cover de Al Green “Take Me To The River”. Este álbum teve uma melhor recepção pela crítica, o que deu certo nome à banda.

As experiências musicais continuaram com o trabalho de 1979 “Fear Of Music”, cujo foco estava no flerte com o clima dark do pós-punk rock. A música “Life During Wartime” ficou muito famosa nesse momento.

A partir de 1980 o grupo Talking Heads passa a ter uma maior influência da world music. O trabalho “Once in a Lifetime” marca esse processo. Após lançar 4 CDs em 4 anos o Talking Heads fica 3 anos produzindo apenas 1, nesse ínterim lançam o trabalho ao vivo “The Name of This Band Is Talking Heads”.

Durante esse período, David Byrne lança dois trabalhos "solo": "My Life in the Bush with Ghosts", com Brian Eno; e a 'trilha sonora' da peça de balé "The Catherine Wheel". Chris Frantz e Tina Weymouth, influenciados pelo Soul, Dance e Funk também formam um projeto alternativo, de nome "Tom Tom Club", e lançam o primeiro álbum, que leva o nome da banda. Nessa época perdem o produtor Brian Eno, que passa a se dedicar a banda irlandesa U2. Em 1983 lançam o CD “Speaking in Tongues”, um trabalho mais comercial que gerou o seu primeiro grande sucesso no Top 10 americano (“Burning Down the House”). A turnê desse trabalho, intitulada "Stop Making Sense" e considerada uma das melhores da história do rock, foi a última da banda. O documentário desta tour foi filmado pelo então novato Jonathan Demme que anos depois ganharia o Oscar de melhor diretor por "O Silêncio dos Inocentes". Em "Stop Making Sense" além de "Burning Down The House" temos uma poderosa versão para "PsychoKiller".

Após o lançamento de 1982 outros 3 trabalhos foram criados: em 1985 “Little Creatures”, em 1986 “True Stories” e em 1988 “Naked”."true Stories", trilha sonora para um estranhissimo filme dirigido pelo proprio Byrne teve como hits "Radiohead" (que inclusive deu nome ao grupo ingles liderado por Thom Yorke) e a contagiante "Wild Wild Life".

Com o passar do tempo, a banda cada vez mais passou a ficar em segundo plano, sob os pés do líder David Byrne. Após um espaço de 3 anos sem gravações e shows foi dada a “sentença definitiva”. No dia 2 de dezembro de 1991 David Byrne anunciou o fim do grupo Talking Heads durante uma entrevista no “Los Angeles Times”. David Byrne seguiu numa erratica carreira solo mas o grupo ate hoje eh uma referencia de rock experimental, pop e criativo influenciando bandas atuais como Arcade Fire, Killers e Clap Your Hands Say Yeah.


Membros

David Byrne - Voz, Guitarra, Violão
Chris Frantz - Bateria
Tina Weymouth - Baixo, Teclado
Jerry Harrison - Guitarra, Teclado

Discografia

1977 Talking Heads: 77
1978 More Songs About Buildings and Food
1979 Fear of Music
1980 Remain in Light
1983 Speaking in Tongues
1985 Little Creatures
1986 True Stories
1988 Naked


" EUROPE "


O Europe é oriundo da banda Force formada em 1978 na Suécia pelo baixista Peter Olsson, o guitarrista John Norum e o baterista Tony Reno, que depois ganharam a companhia do vocalista Joey Tempest. Passados quatro anos, o grupo teve a primeira baixa, Peter Olsson. Joey assumiu o baixo enquanto o substituto não era escolhido. Depois de uma rápida passagem de Marcel Jacobs, John Levén entrou como baixista.

Eles gravaram uma fita para participar de um campeonato de música no país, o vencedor gravaria um disco, mas o grupo não gostou do resultado da fita e decidiu não entrar na competição, mas a namorada de um dos integrantes inscreveu a fita do mesmo jeito. Para a surpresa geral, o Force foi o campeão, mesmo sem saber que estava participando. Joey ainda foi escolhido o melhor vocalista e Norun, o melhor guitarrista.

Antes de gravar, o grupo achou que era hora de mudar o nome e adotou Europe. O disco, homônimo, vendeu bem e ajudou a divulgar o hard rock do grupo para a turnê pela Suécia. Logo depois, uma gravadora japonesa, que por acaso recebeu uma cópia do disco de um fã, lançou “Europe” também no Japão. O sucesso foi grande e a música “Seven Doors Hotel” entrou no Top 10 japonês.

O amadurecimento musical foi visto no segundo disco, “Wings of Tomorrow”, lançado em 1984. Com o novo trabalho, o grupo alcançou também o público americano, além do japonês. Mesmo com tanto sucesso, Tony Reno saiu do grupo e deu lugar a Ian Haugland. A entrada de um novo tecladista, Mic Michaeli, possibilitou a Joey mais dinamismo nos shows e, após a turnê, chegou o terceiro disco, “The Final Countdown”, que se tornou um enorme sucesso.

Em 1986, o grupo saiu em turnê no Japão e Europa e viu a popularidade que tinha ganhado. A música título se tornou um verdadeiro ‘hit’ internacional - vendeu 8 milhões de cópias no mundo e o disco, mais 6 milhões. O único contratempo foi a saída de John Norum que estava cansado e queria mais peso nas músicas, com isso, o grupo chamou Kee Marcello para substituí-lo. A mudança agradou, e muito, e a popularidade do disco só cresceu, chegou ao número um em vários países.

O disco seguinte, “Out of The World” (1988), só confirmou a posição de astros do rock no mundo. Um dos destaques foi a performance em estúdio de Kee, já que nos shows estava claro que era um grande guitarrista. Três anos se passaram e chegou mais um trabalho nas lojas, “Prisoners in Paradise”. Ele foi lançado no meio de alguns conflitos com o produtor que queria músicas mais leves e que se tornariam sucessos fáceis. A banda bateu o pé e trocou de empresário.

O Europe estava anunciado para tocar na noite de ano novo, mas no palco estavam três guitarristas, Kee, Joey e Mic, e ninguém no teclado. Era sinal de que os problemas não haviam terminado, então, a banda decidiu parar por um tempo e Joey logo se lançou em carreira solo.

Em 1999, o grupo voltou a se apresentar, com dois guitarristas, em um show na Suécia, mas foi só um pequeno suspiro. A volta oficial foi anunciada em outubro de 2003 com a formação: Joey, John Norum, Mic, Levén e Ian. Em março do ano seguinte, foi lançada a coletânea “Rock The Night”, com os maiores ‘hits’ do grupo. O inédito “Start From The Dark” saiu no final de 2004 e a banda retomou suas atividades tocando em grandes festivais pela Europa, o que rendeu ainda um DVD ao vivo, “Live From The Dark”. Com a boa repercussão do álbum e a resposta positiva dos fãs, em 2006 a banda lançou mais um inédito,
intitulado “Secret Society”.




" BON JOVI "


Bon Jovi é uma banda de rock and roll de Nova Jersey que vendeu mais de 35 milhões de discos nos EUA desde sua formação, em 1969, e mais de 610 milhões por todo o mundo. Fez shows nas maiores cidades de Ásia, Europa, Austrália, Canadá e América do Sul, além de um grande número de cidades dos EUA. Foi bastante influente, pioneira do estilo "MTV Unplugged".

O líder e vocalista Jon Bon Jovi (John Francis Bongiovi) começou a tocar piano e guitarra aos 7 anos, aprendendo músicas de Elton John. Com a mesma idade, Jon fundou sua primeira banda, chamada Raze. Aos 16 anos Jon conheceu David Bryan (David Bryan Rashbaum) no colégio (Sayreville War Memorial High School). Os dois fundaram uma banda de R&B cover chamada Atlantic City Expressway. Eles tocaram em clubes de New Jersey mesmo sendo menores de idade. Ainda na adolescência, Jon tocou na banda Jon Bon Jovi and the Wild Ones.

Durante o verão de 1966, fora da escola e em empregos temporários — incluindo trabalho em uma loja de sapatos — Jon finalmente conseguiu um emprego na PowerStation Studios", uma gravadora de Manhattan, da qual o co-dono era seu primo Tony Bongiovi (que trabalhou com bandas como Aerosmith, Ramones e Talking Heads).Jon fez várias demonstrações de músicas (incluindo uma produzida por Billy Squier) e as enviou para muitas outras gravadoras, mas não obteve sucesso.

Aos 13 anos, Jon teve sua primeira experiência com gravação. A música gravada foi "R2-D2 We Wish You a Merry Christmas", de Meco Monardo e Daniel Oriolo, em um disco de Natal de Star Wars, Christmas in the Stars, produzido por Tony Bongiovi.

Em 1983, a rádio local WAPP 103.5FM "The Apple" fez um concurso, junto à St. John's University, para eleger a melhor banda desconhecida. Jon Bon Jovi tocou com músicos de estúdio em "Runaway" (que foi escrita em 1980). Depois de vencer o concurso, a música se tornou um sucesso imediato no verão de 1983. Os músicos de estúdio que ajudaram Jon a gravar "Runaway" são conhecidos como "The All Star Review" e eles são Tim Pierce (guitarra), Roy Bittan (teclados), Frankie LaRocka (bateria) e Hugh McDonald (baixo).

Jon agora precisava urgentemente de uma banda. Os futuros membros do grupo tinham se cruzado no passado, mas a formação atual não se juntou até março de 1983. Jon ligou para David Bryan, que chamou Alec John Such e Tico Torres.

Uma série de guitarristas passaram (incluindo Dave "the Snake" Sabo, futuro membro do Skid Row), até que Richie Sambora se juntou. Such falou para Jon deixar Sambora mostrar o que podia fazer, e Jon adorou. Antes de entrar na banda, Sambora excursionou com Joe Cocker, tocou com um grupo chamado Mercy e também foi chamado para um teste para o Kiss. Ele também tocou no álbum Lessons com a banda Message, que foi lançado em CD pela Long Island Records em 1995. O Message originalmente assinara com a Swan Song (do Led Zeppelin), porém um álbum nunca foi lançado.

Tico Torres também era um músico experiente até então. Ele gravou com Miles Davis e tocou ao vivo com The Marvelettes e Chuck Berry.

David Bryan era um recruta natural. Ele saiu da banda que ele e Jon fundaram no colégio, e saiu do colégio para entrar na Juilliard School, a famosa escola de música.



Bon Jovi agora era uma banda. Durante um show de abertura para a banda Scandal, o grupo chamou a atenção do executivo de gravadora Derek Shulman, que os assinou com a PolyGram.

Com a ajuda do novo empresário, Doc McGhee, o álbum de estréia da banda, Bon Jovi, foi lançado em 21de janeiro de 1984.



O álbum chegou à ouro nos Estados Unidos (mais de 500,000 cópias vendidas) e também foi lançado no Reino Unido. A banda abriu para ZZ Top no Madison Square Garden (antes do álbum ser lançado), e para os Scorpions e os Kiss(Ironia:Três anos mais tarde, depois do enorme sucesso do Bon Jovi, os Scorpions abriu shows da banda) na Europa, além de shows no Japão.

O ligeiro sucesso do primeiro álbum animou os produtores para um segundo. Em 1985 é lançado 7800° Fahrenheit, mas a recepção foi fraca. A revista britânica Kerrang!, que foi bastante positiva em relação ao álbum de estréia, chamou este de "uma fraca imitação do Bon Jovi que nós conhecemos e aprendemos a gostar". O próprio Jon Bon Jovi posteriormente disse que o álbum poderia e deveria ser melhor.

Para o próximo álbum, a banda começou a escrever com o consagrado compositor Desmond Child (que foi indicado à banda por Gene Simmons). Slippery When Wet, lançado em 1986, foi produzido por Bruce Fairbarn e gravado em Vancouver, Canadá. Slippery levou a banda ao status de astros mundiais, com sucessos como "You Give Love a Bad Name", "Livin' On A Prayer", e "Wanted Dead or Alive". Jon Bon Jovi diz que o álbum recebeu seu nome ("escorregadio quando molhado") por causa dos sinais de estrada, mas David Bryan diz o seguinte sobre o nome do álbum: "durante a gravação do disco nós freqüentemente iamos a um clube de streaptease onde belas garotas passavam água e sabão umas nas outras. Elas ficavam escorregadias por causa disso, e você não podia segurar mesmo que você quisesse muito. 'Escorregadio quando molhado!!' um de nós gritou e o resto de nós automaticamente já sabia: esse tinha que ser o título do novo álbum! Inicialmente nós iamos pôr uma foto de uns belos peitos, uns realmente grandes, na capa; mas quando o PMRC (uma comissão de moral sobre o comando de Tipper Gore, esposa do senador e ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore) descobriu, estávamos com problemas. Então decidimos pôr uma capa bem decente."

Curiosamente, sabe-se que, na época, Jon Bon Jovi não queria incluir "Livin' On A Prayer" (que se tornaria um dos maiores sucessos da banda em todos os tempos) no álbum, e que o mesmo só recebeu a canção graças ao esforço de Sambora em convencer o vocalista sobre o potencial da música. Apesar disso, muitos fãs lamentam até hoje o fato da música "Edge Of A Broken Heart" não ter entrado no álbum. Atualmente, o próprio Bon Jovi demonstrou concordar com tal opinião, reconhecendo que a música poderia ter sido um tremendo sucesso.

O álbum vendeu nos EUA 12 milhões de cópias desde o lançamento. Na turnê que se seguiu, Jon Bon Jovi começou a ter dificuldades vocais. As notas extremamente altas e constantes danificaram sua voz permanentemente. Com a ajuda de um técnico vocal, Bon Jovi continuou a turnê. Ele tendeu a cantar em tons ligeiramente mais baixos desde então.

O próximo álbum, New Jersey (chamado originalmente de "Sons Of Beaches" e planejado como um álbum duplo) foi lançado em 1988, novamente produzido por Bruce Fairbarn. O álbum foi gravado logo após o fim da turnê do Slippery, pois a banda queria provar que não era apenas um sucesso temporário. O resultado é um dos álbuns favoritos dos fãs, com sucessos como "Bad Medicine", "Lay Your Hands On Me" e "I'll Be There For You", que permanecem nos repertórios até hoje. No entanto, o álbum levou a banda direto da exaustiva turnê anterior para uma mais ainda. A constante vida na estrada quase destruiu a forte relação entre Jon Bon Jovi e Richie Sambora. No começo de 1990, com o fim da turnê, a banda se separa e dá uma boa folga antes de se juntarem e voltarem ao estúdio.



No começo da década de 1990, o Bon Jovi estava saturado de trabalho. As brigas entre os membros se tornaram constantes e a banda resolveu "dar um tempo". Jon lançou um álbum solo, trilha sonora do filme "Young Guns II" (Jovens Demais Para Morrer 2) que incluiu os hits "Blaze Of Glory" (seu clipe até hoje é um dos mais exibidos em toda história da MTV americana e brasileira),Miracle e Santa Fe. Richie também lançou um disco-solo, "Stranger In This Town", mais baseado em suas raízes blues, o qual não chamou tanta atenção da mídia. As vendas foram baixas e a turnê promocional, bastante curta. O show mais lembrado foi em San Diego (EUA), em 1991, capturado no próprio soundboard e gravado em alguns CD's bootleg ao redor do mundo.

Nesse meio tempo da separação da banda, com a saída de Steven Adler dos Guns N' Roses, Axl Rose convidou Tico Torres, para ser o baterista do Guns N' Roses.Mas ele não aceitou com tal desculpa:"Estou na maior banda do mundo", referindo-se ao Bon Jovi.

Em 1992, a banda se reúne para gravar "Keep The Faith", o 5º álbum de estúdio (cujo nome original era "Revenge"). Contendo letras mais políticas do que românticas, o álbum trás uma mensagem crítica da sociadade. Neste álbum a banda assume também um novo visual, mudando os cabelos, entrando de fato na década de 90. O disco vendeu milhões de cópias pelo mundo e foi considerado um sucesso, mesmo não sendo tanto como os dois anteriores.

Em 1994, a banda lança a coletânea "Cross Road", que contém duas músicas inéditas: "Always", que originalmente foi feita para a trilha sonora do filme "O Sangue de Romeo" que curiosamente fez muito mais sucesso que o filme, e "Someday I'll Be Saturday Night", que teve que ser retirada das paradas da MTV brasileira para dar chance a outros clipes. Nesse ano, Alec John Such deixa a posição de baixista da banda, sob rumores conflitantes de alcolismo, drogas, acidentes de moto etc. O baixista Hugh McDonald assume seu lugar e no ano seguinte, a banda lança "These Days", álbum marcado por um clima mais soturno, mais socialmente crítico do que Keep The Faith e letras visivelmente mais complicadas e maduras, conseguindo emplacar o hit-balada "This Ain't A Love Song" e a faixa título "These Days", chegando a #6 e #7 respectivamente no Reino Unido. Nessa época, a banda gravou 3 shows consecutivos e lotados no estádio "Wembley", em Londres, além de fazer uma turnê por quase todo o mundo, passando por países como o Brasil, África do Sul e a Índia, tendo todos os ingressos para seus shows vendidos. Foram longas e exaustivas turnês que marcaram a presença da banda no cenário musical pós-grunge dos anos 90.

A partir daí, o Bon Jovi resolveu dar mais uma parada com a banda para que seus integrantes pudessem se dedicar a seus projetos pessoais, mais uma vez. Em 1997, Jon lança o segundo álbum solo, "Destination Anywhere", acompanhado de um curta-metragem que teve a colaboração de Mark Pellington como diretor e roteirista, baseado nas letras do álbum o curta que leva o mesmo título do disco conta com a participação dos atores: Kevin Bacon, Demi Moore, Annabela Sciorra e Whoopie Goldberg. Em suas turnês, veio até o Brasil para a divulgação, Jon fez apenas um showcase, assistido em pessoa por poucos. No ano seguinte, Richie faz o mesmo, com o álbum "Undiscovered Soul", mostrando uma amadurecimento musical, tendo no CD participação de Steve Tyler do Aerosmith na gaita de "If God was a woman". Algumas músicas chegaram a tocar nas rádios brasileiras, como "Hard times come easy" e "In it for love", mas não teve tanta repercussão quanto com o público americano. Richie chegou a fazer shows de divulgação do CD em Osaka no Japão, e assim como a tour do primeiro CD solo, foi lançado em alguns CD's bootleg.




Bon Jovi Dublin 2006Em 2000, Bon Jovi lança "Crush", um sucesso comercial com o single "It's My Life", considerado um dos maiores hits da história da banda. Além de outros sucessos como "Just Older", "Say Isn't So", "Next 100 Years", entre outros.Foi um sucesso tremendo.

Em 2001, atendendo aos pedidos dos fãs que clamavam por um álbum ao vivo, a banda lança "One Wild Night Live: 1985-2001", contendo uma coleção de sucessos em algumas de suas melhores apresentações ao longo dos anos da banda na estrada, além da inédita "One Wild Night".

No ano seguinte, lançam o álbum "Bounce" - inspirado, em parte, nos atentados de 11 de setembro - com os hits "Everyday" e "Misunderstood".

Em 2003, lançaram "This Left Feels Right", uma coleção de regravações de seus grandes sucessos em versões completamente diferentes. No final do ano seguinte, lançaram um Box Set: "100.000.000 Bon Jovi Fans Can't Be Wrong", comemorando os 20 anos de existência da banda, que coincidiram com um número aproximado de 100 milhões de cópias vendidas de seus álbuns em todo o mundo. Obviamente, trata-se apenas de dados coletados pela gravadora, o que significa que a banda já passou efetivamente da marca dos 100 milhões há muito tempo.



Em setembro de 2005 foi lançado o álbum "Have a Nice Day". A turnê teve início em novembro na cidade de Chicago e o 1º single para promoção foi a faixa-título do álbum. O álbum vendeu 4,5 milhões de unidades em todo o mundo (até outubro de 2006). A faixa "Who Says You Can't Go Home" foi lançada em um dueto com Jeniffer Nettles da banda americana de Country Sugarland, e entrou para a história sendo a primeira música de uma banda de rock a ficar em primeiro lugar nas paradas de música Country.



A turnê foi um sucesso tremendo, ganhou prêmio BillBoard de Melhor Turnê, Melhor Show(o último da turnê no Giants Stadium, em New Jersey.Mas como a turnê só passou pelo Hemisfério Norte, existem boatos, que com o sucesso da primeira turnê, o Bon Jovi fara uma segunda turnê, passando pelos países do Hemisfério Sul como Brasil, Austrália, África do Sul e Argentina.O próprio baterista da banda, Tico Torres afirmou que a banda fariam shows na Argentina no final do ano.E os dois maiores jornais brasileiros, Folha de São Paulo e estado de São Paulo publicaram materias dizendo que o Bon Jovi faria shows no Brasil no fim de 2006 ou no início de 2007.Em entrevista ao fã-site oficial(www.backstagejbj.com) Jon Bon Jovi afirmou que pretende fazer uma "Have A Nice Day TOUR 2".



No fim de 2006, após o término da turnê Have a Nice Day, Jon Bon Jovi anunciou que a banda pretende lançar um cd Country Rock no primeiro semestre de 2007. Bon Jovi, em um show no Hard Rock Café, em Los Angeles no fim de 2006, apresentou a música Lost Highways ao público no qual será também o nome do álbum. Essas são as possíveis músicas do disco:

Lost Highways
Summertime
Any Another Day
Make a Memory
I Love This Town
Obs.:"Make a Memory" , "I Love This Town",´´Summertime´´ e ´´Any another day´´ podem ser ouvidas nestes links, respectivamentes:O novo álbum da banda de rock americana Bon Jovi, “Lost Highway”, vai ter uma pitada a mais de música country que o último, “Have a Nice Day”, de 2005. O objetivo é continuar incorporando o estilo cowboy a algumas músicas do CD e manter o sucesso e lucro milionário do último trabalho. “Lost Highway” será lançado no dia 19 de junho, mas desde o dia 20 de março, a faixa “(You Want to) Make a Memory” está tocando nas rádios norte-americanas.

A faixa “Lost Highway” pode ser ouvida no trailer da nova comédia estrelada por John Travolta, “Wild Hogs”, e "We Got It Going" foi escolhida pelo canal de esportes ESPN como tema da Liga de Futebol de Arena de 2007.

Bon Jovi está investindo tanto no público country, que a banda foi convidada a se apresentar, em abril, no CMT Awards, uma premiação voltada para esse gênero musical. Em 2005, o dueto de Bon Jovi e Jennifer Nettles, cantora da banda country “Sugarland”, entrou para a história. A faixa "Who Says You Can't Go Home", do CD “Have a Nice Day”, foi a primeira música de uma banda de rock a ficar em primeiro lugar no ranking country da Billboard.

Além disso, a arrecadação da turnê de “Have a Nice Day” foi uma das maiores da banda – US$ 131 milhões (R$ 267 milhões), com 1,4 milhões de cópias do álbum vendidas só nos Estados Unidos.

sábado, 15 de setembro de 2007

" SPANDAU BALLET "


Em 1979 o movimento New Romantic estava no auge. Eram comuns nos jornais ingleses frases como “Os New Romantics estão aqui!”. Eles prestavam muita atencão na aparência, sendo rapidamente identificados nas ruas de Londres por suas roupas e incriveis penteados. Bandas como Duran Duran, Classic Noveaux e Visage seriam os expoentes desta nova era de romantismo.

Foi nesta época que quatro colegas de escola londrinos, Gary Kemp (tocando guitarra), Tony Hadley (vocal), Steve Norman (saxophone e percussão), John Keeble (bateria), junto com um amigo deles, Richard Miller (baixo), decidiram formar uma banda, The Makers, tocando em alguns pubs do East-End. Entretanto logo após uma pequena viagem a Berlin, o irmao de Gary, Martin Kemp substituiu Richard e a banda mudou o nome para Spandau Ballet. O novo nome foi inspirado de uma inscrição no muro de uma prisão em Spandau - Berlin. Chamando um outro colega de escola, Steve Dagger, para atuar como empresário, o grupo tocou em vários locais, inclusive em um Cruzeiro britânico ancorado próximo a Torre de Londres, no mais puro estilo New Romantic. Foi tanto o sucesso, que o proprietário da Island Records, Chris Blackwell ofereceu um contrato, mas este foi rejeitado, e ao invés o grupo formou o seu próprio selo, Reformation.

No inicio dos 80 eles foram filmados para um documentário da televisão e logo após licenciaram o selo através da Chrysalis Records. O primeiro sucesso To Cut A Long Story Short alcançou o Top 5 da parada britânica, havendo a gravação do primeiro album, Jorneys to Glory. No ano seguinte apareceram os singles The Freeze e Musclebound. Com o single Chant n 1 (I Don’t Need This Pressure On) que alcançou o Top 3, a banda revelou uma tendência mais para o soul/funk junto com uma nova imagem. Seguiram singles sem muito sucesso como Paint Me Down, She Loved Like Diamond e Instinction, este ultimo com produção de Trevor Horn.

Em 1983 o grupo seguiu uma direção mais pop com o album True, conseguindo chegar ao topo da parada britânica e entre as dez dos EUA com o hit True. Começaram a circular na imprensa boatos sobre a rivalidade entre Spandau Ballet e Duran Duran, mas ao que parece eram só boatos, nao havia inimizades. Talvez como prova disso, há a participação das duas bandas no projeto de Bob Geldof para ajudar os africanos, Ban-Aid em 1984.

Seguiram -se outros sucessos, incluindo Only When You Leave, Higly Strung e Round And Round. Uma longa dusputa legal com a Chrysalis impediu o trabalho do grupo até eles assinarem com a CBS/Columbia Records em 1986 quando gravaram o album Through The Barricades.

Em 1989 saiu o album Heart Like A Sky. Desde então os irmaos Kemp começaram a atuar no cinema. Tony continuou em carreira solo. Em um de seus albuns ele regravou sucessos de outros artistas, incluindo a musica Save a Prayer com participação de Simon Le Bon nos backing vocals e participou de uma musica do album The Time Machine de 1999 do Alan Parsons Project. Steve e John tambem gravaram alguns albuns. Questionado sobre a volta do Culture Club e Howard Jones, Martin Kemp disse que agora prefere ser ator do que musico. Já em maio de 2000 Tony, Steve e John apresentaram os maiores hits do Spandau em dois shows em Dublin e Londres. E apesar de alguns problemas com direitos autorais em 99, a banda nunca se separou oficialmente.



DISCOGRAFIA

JOURNEYS TO GLORY - 1980
DIAMOND -1981
TRUE -1983
PARADE-1984
THROUGH THE BARRICADES - 1986
HEART LIKE A SKY - 1989
THE SINGLES COLLECTION - 1986


" TALK TALK "


A história do Talk Talk se remota no interior da Inglaterra com o cantor e letrista Mark Hollis e seu irmão mais novo, Ed Hollis, DJ e produtor, e que mantinha a banda Hollis and the Hot Rods. Inicialmente, Mark Hollis estava planejando se formar piscólogo e trabalhar com crianças, mas em 1975 ele deixou a universidade e se mudou para Londres. A época era propícia e o jovem Mark colocou um anúncio no Melody Maker procurando pessoas para formar uma banda.

Em 77 estava formado o The Reaction. Mark pediu a ajuda de seu irmão para produzir uma demo e enviar para as pessoas com as quais ele tinha contato. Ed Hollis entregou a fita do Reaction para Island Records. Ed Hollis não gostou muito do nome da banda do irmão e mudou o nome da fita demo para Talk Talk e levou até a gravadora do Gary Numan e Cabaret Voltaire, a independente Beggar's Banquet que a incluiu na coletânea chamada Streets.

Depois do primeiro single I Can't Resist, em 1978, The Reaction se separou e, com a ajuda do seu irmão, Mark Hollis foi apresentado aos baixista Paul Webb, ao baterista Lee Harris e ao tecladista Simon Brenner, com quem ele formou oficialmente o Talk Talk em 1981.
Devido a convivência com seu irmão produtor, Mark acbou por se tornar um perfeccionista e a banda gravou várias demos, centenas de ensaios com o produtor Jimmy Miller, Mark conseguiu um contrato com a EMI que tinha acabado de incluir no seu cast o Duran Duran produzido por Colin Thurston que estava em alta pois o álbum do Duran tinha simplesmente emplacado 4 hits nas paradas inglesas e a EMI dispensou o antigo produtor da banda e solicitou a Colin que produzisse os dois primeiros singles da banda: Mirror Man e Talk Talk.
A gravadora estava claramente tentando orientar todo o seu novo cast para o estilo New Romantic e a banda foi a escolhida para abrir todos os shows da tournê de 82 do Duran Duran o que ajudou na divulgação do disco de estréia, o clássico The Party's Over. O disco foi aclamado pela crítica e classificado como "synth pop sensível e contemporâneo" e genial no quesito letras.
Em 1983, o Talk Talk lançou o single My foolish friend que marcou um salto para as principais posições das paradas britânicas. O som estava mais pesado, porém mais maduro. Ainda em 1983, o tecladista Simon Brenner foi demitido por razões que são controversas até hoje. Há quem diga que a decisão partiu de Mark Hollis que achava que Simon não estava se esforçando o suficiente.

Durante o ano de 1983 a banda trabalhou basicamente no álbum It's my Life, que trouxe a música que deu nome ao álbum, inovando e acentuando um estilo New Romantic um pouco mais pop, mesclado com seu technopop texturizado, para se ouvir em casa, uma espécie de pré-ambient. Infelizmente essa música ganhou uma versão não muito palatável meses atrás, e apesar do relativo sucesso aos ouvidos desavisados, a original continua disparada imbatível no coração dos fãs dos 80. Foi decisiva a chegada do produtor e multi-instumentista Tim Friese-Greene que passou a ser um membro não oficial da banda em todos os discos. Hollis encontrou em Friese a pessoal ideal para entender as ambições dele. It's my life acabou se tornando um clássico dos anos 80. A música trazia finas linhas de pop e tentava direcionar a new wave para um caminho de texturas mais ricas. A música foi sucesso no mundo inteiro. Seu clipe é uma atração à parte nas festas Autobahn, baseado em imagens de animais brincando em seu habitat, como em uma bela campanha ambientalista.
O disco seguinte, The colour of spring de 1986 trazia o mesmo clima de It's My Life e emplacou os sucessos Life is What You Make of it e Give it Up se tornando o disco mais vendido da banda.
Em 1987, a banda se instalou em uma igreja abandonada em Suffolk para começar a trabalhar no quarto álbum. Essa decisão foi tomada por Hollis que estava ouvindo muito na época o disco Closer do Joy Division, que também foi gravado em uma igreja abandonada e trouxe efeitos sonoros bem diferentes de um estúdio convencional. Depois do sucesso de vendas do disco anterior e de uma turnê realizada em 86 que foi extremamente rentável, a gravadora EMI aguardava ansiosamente por este disco. No entanto, a banda estourou o prazo e as cobranças por parte do executivos da gravadora começaram.
Cobrado pela gravadora, Hollis disse que não permitiria nenhum tipo de intervenção para acelerar as gravações e nem aceitaria a demissão produtor. Hollis e o produtor, estavam construindo músicas com arranjos extremamente complexos e, portanto, também não poderia ceder aos pedidos de shows que a gravadora estava recebendo.
Finalmente, após 14 semanas dentro do estúdio, o disco Spirit of Eden ganhou a luz do dia e foi massacrado pela crítica, gerando uma pequena procura comercial enorme que acabou em rádios que não executavam as músicas por achar que o público não iria gostar. Músicas prolongadas, arranjos intrincados, muito semelhantes ao Jazz. Todo esse desgate trouxe o inevitável rompimento de contrato entre gravadora e banda. Houve uma ultima tentativa da gravadora para tentar reaver o prejuízo e lançou o single I Believe in You sem o consentimento da banda.
Hollis processou a gravadora e a música foi retirada de todas as rádios onde estava começando a tocar. A banda conseguiu assinar com a Polydor para lançar um outro trabalho, mas Paul Webb deixou a banda, irritado com a incostância das situações. Isso fez com que Laughing Stock foi gravado, basicamente com músicos convidados. O trabalho marcou o fim da banda e em 1992, Webb e Harris formaram a banda O'Rang enquanto Hollis desapareceu voltando à cena apenas em 1998 com um disco solo.
O último lançamento foi em 1999, o disco London 1986, ao vivo e em 2003
a coletânea Time It's Time.

"SYMPLY RED"


Simply Red é um grupo musical da Inglaterra liderado pelo cantor e compositor Mick Hucknall.

Integrantes

Mick Hucknall: voz
John Johnson: trombone
Kevin Robinson: trumpete
Steve Lewinson: baixo
Sarah Brown: back vocal
Kenji Suzuki: guitarra
Dee Johnson: back vocal
Pete Lewinson: bateria
Ian Kirkhan: saxofone
Chris De Margari: saxofone e flauta

Discografia

1985: Picture book
1987: Men and women
1989: A New Flame
1991: Stars
1995: Life
1996: Greatest Hits
1998: Blue
1999: Love and The Russian Winter
2000: It's Only love
2003: Home
2005: Run It Red
2005: Simplified
2007: Stay






" THE HUMAN LEAGUE "


The Human League é uma banda britânica New Wave/synthpop formada no final da década de 1970 (1977), tendo atingido grande popularidade na década de 1980 e regressado depois em meados dos anos 90. Originalmente um grupo pós-punk de sintetizadores de Sheffield, Inglaterra, a sua composição tem-se alterado ao longo dos anos, sendo que o único membro original ainda na banda é o vocalista e songwriter Phil Oakey. Em seu repertório, destacam-se Human , Don't you Want Me e Open your heart.


1978: Being Boiled
1979: The Dignity of Labour EP (Instrumental) / Empire State Human
1980: Holiday '80 EP / Only After Dark
1981: Boys and Girls / The Sound of the Crowd / Open Your Heart / Love Action / Don't You Want Me?
1982: Mirror Men
1983: (Keep Feeling) Fascination
1984: The Lebanon / Life on your own / Louise
1986: Human / I Need Your Loving / Love Is All That Matters
1990: Heart like a Wheel / Soundtrack to a Generation
1994: Tell me when / One man in my Heart / Filling up with Heaven
1996: Stay with me tonight
2001: All I ever wanted

Álbums
1979: Reproduction
1980: Travelogue
1981: Dare
1982: Love and Dancing (Remix-Album)
1984: Hysteria
1986: Crash
1990: Romantic?
1994: Octopus
2001: Secrets




" QUEENSRYCHE "


O Queensryche é uma banda de metal que nasceu em 1981 em Washington (USA). Chris DeGarmo, Michael Wilton se conheceram no colégio e juntaram-se a Scott Rockenfield e Eddie Jackson formando uma banda chamada The Mob.

Conheceram Geoff Tate (que era do Babylon) durante um festival, o Metalfest '81. Chris e os outros integrantes não tinham um vocalista e não tiveram a menor vergonha de chamarem Geoff para cantar nesse festival. O resultado não podia ser melhor. Mas depois do festival, Geoff não ficou na banda.
No ano seguinte, a banda passou a se chamar Queensryche, nome tirado da música Queen of the Ryche da própria banda. O empresário da banda levou uma demo à revista Kerrang! que rendeu a gravação de um EP, "Queensryche" (206 Records) que traz, entre outras a música "Queen of the Ryche" e a voz de Geoff. Vendo isso, Geoff deixou do Myth (banda da qual fazia parte nessa época) e juntou-se ao Queenryche.
Em 83, depois de uma rádio local de Washingtoin tocar algumas músicas do Queensryche, a banda assina um contrato com a EMI que regrava seu primeiro EP de maneira que o EP da 206 Records é hoje um item de colecionador. Ainda no final desse ano, Chris DeGarmo e seus colegas fazem shows ao lado de bandas renomadas como o Quiet Riot, Dio, e Twisted Sister.
Em 84 sai o primeiro álbum da banda, "The Warning", gravado em Londres. O heavy metal inteligente que marcaria o som da banda apenas começava a se demonstrar neste disco que se tornaria um dos clássicos do rock em pouco tempo. Seguem-se turnês pelo Japão, Europa e Estados Unidos. "Rage For Order" sai no ano seguinte, consolidando o estilo inconfundível da banda.

Em 86 a banda sai em turnê novamente, desta vez com AC/DC e Ozzy Osbourne. Em outubro desse ano, despedem o empresário mas não cancelam os shows, seguindo para a europa com o Bon Jovi. Nessa época, o Queensryche já havia conquistado milhares de fãs por todo o mundo.

Os fãs ficaram ainda mais fanáticos com o lançamento de "Operation: Mindcrime" (1988), produzido por Peter Collins. O álbum traz uma estória sobre um Dr. X, algo parecido com a idéia de King Diamond em seus álbuns, onde uma canção é continuação da outra, mas com estilos distintos, é claro. Esse álbum é considerado o melhor por muitos fãs.

Mas é em 1990, com o álbum "Empire" (também produzido por Collins) que o Queensryche atinge a grande mídia. É desse álbum a famosa "Silent Lucidity" que conquistou outros milhares de fãs e rendeu um clipe na MTV. O álbum lançou também outros singles e vídeo-clipes, já que suas canções eram mais assecíveis e comerciais, porém não menos brilhantes. Com este disco a banda ganhou um dos prêmios do MTV's Video Music Awards, o de escolha da audiência.

A turnê Building Empires durou dois anos e rendeu um álbum ao vivo e um vídeo reunidos em uma caixa, "Operation: Livecrime". Em 93 o Queensryche gravou a faixa "Real World" para a trilha sonora do filme Last Action Hero (O Último Grande Herói). Depois disso a banda tirou bem merecidas férias que duraram 6 meses. Em 94 sai "Promised Land" que, dois anos mais tarde vira um jogo em CD-ROM. "Hear in the Now Frontier" chega em 97.
Em 98, Chris DeGarmo resolveu deixar a banda, para a tristeza de muitos fãs, mas esse não é o fim do Queensryche que lança "Q2K" no ano seguinte, com o guitarrista Kelly Grey.
Após seguidos trabalhos de estúdio e preocupados com a forte pirataria que era feita durante as turnês, o grupo decide que está na hora de presentear o público com material ao vivo de qualidade e gravam dois shows em Seattle, cidade natal do Queensryche. Em 2001 foi lançado então o duplo “Live Evolution”, trazendo todos os grandes hits da banda desde a década de 80.
Chris DeGarmo volta ao Queensrÿche para as gravações do novo trabalho do grupo, "Tribe", lançado em 2003. Não se sabe, porém, se essa é a volta definitiva do guitarrista à banda.


"AIR SUPPLY"



Air Supply é uma banda pop australiana formada em 1975 por Graham Russell e Russell Hitchcock, cantando canções que expressam uma forma suave e única de amor e sentimento em baladas românticas e modernas.
Graham Russell, britânico, encontrou-se com Russell Hitchcock nos ensaios para um musical chamado "Jesus Christ Superstar" ocorrido em Sydney, Austrália, e se tornaram amigos ao primeiro instante e juntos formaram uma banda de sucesso até hoje.
Seu repertório é em maior parte de composição do próprio vocalista e instrumentista, Graham Russell, que em parceria vocal com Russell Hitchcock conseguem transmitir beleza e harmonia em suas canções.
O primeiro Hit da banda foi Lost in Love, mas outros sucessos como All Out of Love, The One That You Love, Sweet Dreams, Making Love Out of Nothing at All and Goodbye são conhecidos em quase todos os países. O sucesso Sweet Dreams vem sendo performado pela banda de maneiras diferentes a cada turnê, em 1995 foi reeditado para uma versão mais sinfônica, e que foi gravada ao vivo para CD e VHS - na época - e DVD mais tarde, em um show na Tailândia, onde foram regravados muitos hits e duas novas canções para a comemoração dos 20 anos de formação da banda Air Supply.

Em julho de 2005 Graham e Russell lançaram o DVD It Was 30 Years Ago Today para comemorar os 30 anos da banda.
Nesse ano de 2007, o compositor e vocalista Graham Russell iniciou um projeto solo, no qual compôs canções para serem lançadas juntamente com a turnê de 2007, um album chamado The Future. Esta foi a primeira vez que Graham lança-se em um album no qual somente ele canta, sem Russell.
Em 1995, a banda esteve no Brasil, fazendo apresentações nos programas de TV,
Domingão do Faustão, na Rede Globo, e Hebe, no canal SBT.